Responsabilidade Social
Sustentabilidade

Responsabilidade social: Saiba tudo sobre o assunto!

Muito em voga nos tempos atuais, o termo responsabilidade social parece já fazer parte do nosso dia a dia. Mas você sabe o que realmente o conceito significa?

Agir de forma socialmente responsável é se preocupar com questões sociais, ambientas, economias e culturais. E vai além da simples assistência.

Nesse artigo, você vai entender tudo sobre o assunto e ver como a responsabilidade funciona e de que formas ela pode ser praticada.

O que significa responsabilidade social?

responsabilidade social

A responsabilidade social pode ser classificada como um conjunto de ações realizadas para melhorar a vida de um grupo de pessoas ou de uma comunidade, em diversos aspectos. E, embora seja praticada por cidadãos, é mais comumente associada ao contexto empresarial.

Segundo o Livro Verde da Comissão Europeia a responsabilidade social é “um conceito segundo o qual as empresas decidem, numa base voluntária, contribuir para uma sociedade mais justa e para um ambiente mais limpo”. Afinal, “o crescimento econômico, a coesão social e a proteção ambiental são indissociáveis”.

Essa responsabilidade pode ser manifestada internamente, com o grupo de empregados; ou externamente, envolvendo os parceiros de negócios e os impactos das ações dessa instituição no cenário em que está inserida.

O comportamento socialmente responsável reflete o alinhamento das empresas às expectativas dos cidadãos. A sociedade está mais preocupada com o desenvolvimento sustentável e as empresas precisam acompanhar isso.

Como as empresas praticam a responsabilidade social?

Empresas que colocam a responsabilidade social como um conceito arraigado às suas práticas diárias vão além do cumprimento das obrigações legais, previstas na lei e convenções de cada área de negócios.

Elas fazem um investimento maior no capital humano e nas comunidades locais. A responsabilidade social empresarial (RSE) se preocupa mais com as relações construídas com todas as partes do negócio e o meio ambiente.

Dessa forma, podem ser realizadas ações educacionais, ambientais, culturais, de moradia e de saúde. Ou ainda mesmo projetos que ajudem a beneficiar funcionários e comunidades, melhorando a qualidade de vida da população.

Além disso, a responsabilidade social transforma todo o processo produtivo da empresa – que passa a ficar mais atenta à origem da matéria-prima de seus produtos, como o produto final é entregue ao consumidor, e com o bem-estar dos empregados.

Saiba mais sobre a RSE em nosso artigo especial sobre o tema e confira alguns exemplos de empresas que praticam ações baseadas nesse conceito.

A evolução da responsabilidade social

A responsabilidade social sempre esteve envolvida com as transformações das organizações na nossa sociedade. Ao longo dos anos, porém, o conceito foi se transformando.

No começo do século passado, o termo estava ligado à filantropia, resumindo-se a doações de empresários ou criação de fundações solidárias.

Em 1919, um fato marcou algumas mudanças na relação das empresas com as pessoas. Henry Ford decidiu usar parte dos lucros para aumentar salários, investir na capacidade produtiva e criar um fundo de reserva, contrariando os outros acionistas.

Em meados dos anos 1950, com a guerra do Vietnã, a pressão social também contribuiu para o fortalecimento da responsabilidade social. Muitos americanos foram contra as empresas bélicas que forneciam armamento para as tropas dos Estados Unidos, trazendo muitos impactos negativos para a sociedade.

Mudanças de objetivos

Em todo mundo as mudanças foram se intensificando. Se, até então, o objetivo de uma empresa era gerar lucro para seus acionistas, a mudança de comportamento dos consumidores passou a exigir mais atenção aos diversos aspectos sociais.

Assim, o conceito foi expandido e a responsabilidade passou a ser vista de forma mais ampla. Exigia, agora, um novo jeito de pensar os resultados das ações de uma empresa para a comunidade em que ela está inserida.

Responsabilidade Social no Brasil

No Brasil, o debate sobre a responsabilidade social começou a se intensificar nos anos 1960. Iniciou-se com a publicação da Carta de Princípios dos Dirigentes Cristãos de Empresas, em 1965. Depois, com a criação da Associação dos Dirigentes Cristão de Empresas (ADCE), em 1969.

A carta foi o primeiro documento brasileiro a usar o termo. Em destaque, “os aberrantes desníveis econômicos, o enorme atraso de certas áreas do país decorrem, em parte, de não ter o setor empresarial tomado consciência plena das suas responsabilidades sociais”.

Posteriormente, a Lei nº 76.000/75, que obrigava as empresas a prestarem contas sobre os empregados, com informações individuais, também contribui para a expansão da responsabilidade social no país.

O Instituto Ethos, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) criada em 1998, foi outro fator importante para a sensibilização das empresas sobre o tema – que hoje se tornou um critério importante na realização de negócios.

Você sabe o que é uma Oscip? Esse tipo de organização costuma ser confundida com uma ONG, mas, na prática, são coisas diferentes. Leia nosso post e entenda tudo sobre o funcionamento dessas entidades.

Por que as empresas praticam a responsabilidade social?

responsabilidade social empresarial

A responsabilidade social empresarial está cada vez mais comum. Motivos não faltam: a empresa que pratica ações solidárias é beneficiada tanto quanto a sociedade. Veja por que:

Melhoria na relação com parceiros de negócios

Empresas socialmente responsáveis buscam parceiros que tenham os mesmos valores na realização do seu trabalho. Assim, se a sua organização pratica algum projeto social, certamente será mais fácil fechar negócio com um fornecedor que tenha esses princípios.

E isso é ótimo para a imagem da marca no mercado: os consumidores estão mais interessados em produtos e serviços de empresas responsáveis, sendo esse um diferencial tão importante quanto o preço (ou até mais).

O consumidor se identifica melhor com a sua marca

A globalização intensificou a produção industrial, mas ao mesmo tempo, facilitou o acesso à informação por parte dos consumidores, que estão buscando empresas mais engajadas e preocupadas em mitigar os impactos ambientais e sociais causados pela cadeia produtiva.

Por isso, a responsabilidade social se torna um ativo da marca, melhorando a imagem e conquistando as pessoas. Consequentemente, os resultados também melhoram.

Marketing e responsabilidade social

Com os ganhos proporcionados para as empresas, a responsabilidade social vem se transformando em uma ferramenta de marketing – o que gera alguns debates importantes sobre o tema.

Afinal, as ações sociais empresariais são legitimas ou apenas uma forma de vender mais?

A cidadania empresarial pode ser legitimada por ações que, de fato, façam a diferença na vida das pessoas e que tenham coerência com o comportamento da organização no dia a dia.

Por exemplo: se uma empresa apoia ONGs (Organizações Não Governamentais) femininas, mas, no dia a dia, oferece poucas vagas para mulheres ou salários inferiores ao que é pago para homens, a prática é incoerente e o marketing acaba sendo oportunista.

Quais ações podem ser realizadas no dia a dia?

responsabilidade social consumo

Para as empresas que querem implementar a responsabilidade social em sua estratégia de negócios, mas ainda não sabem como começar, separamos algumas dicas.

O ideal é começar aos poucos e transformar o conceito em algo cultural, que faça parte da natureza da instituição.

  • Incentive a prática do consumo consciente;
  • Evite desperdício de recursos;
  • Pesquisa a origem da matéria-prima utilizada no processo produtivo da sua empresa;
  • Conscientize diretores e outras lideranças sobre a importância da responsabilidade social;
  • Promova projetos internos para os funcionários;
  • Apoie e desenvolva programas sociais para a comunidade.

Terceiro Setor é parte essencial da responsabilidade social

O terceiro setor é composto por organizações não governamentais, sem fins lucrativos. Estas, por si só, já nascem com o objetivo de cobrir demandas que o Estado não consegue atingir.

Fazem parte do setor as ONGs e as Oscips. São instituições que contribuem para a melhoria de vida em várias camadas da sociedade sem receber nada em troca.

Essas organizações andam junto com as empresas socialmente responsáveis, já que, muitas vezes, os recursos que possibilitam a realização das ações e projetos sociais vêm dessas parcerias.

Além disso, existem organizações que visam mobilizar as iniciativas sociais dentro das corporações. Para isso, fomentam o apoio e patrocínio a diversos projetos que incentivam a construção de um mundo melhor.

Saiba mais sobre o papel das organizações do terceiro setor no post que a Risü preparou, explicando o conceito.

Responsabilidade Social X Filantropia

Embora pareçam a mesma coisa, responsabilidade social e filantropia possuem essências diferentes.

Enquanto a responsabilidade social nasce de um dever das empresas para a sociedade, a filantropia é o ato de ajudar alguém ou alguma causa, sempre com generosidade e de forma caridosa.

No contexto empresarial, os dois conceitos podem ser diferenciados pela forma como estão inseridos ou não no planejamento estratégico.

A responsabilidade social é um processo organizado e que passa a fazer parte de todo o processo produtivo e condução dos negócios da instituição. E a filantropia é vista como uma ação de caridade, que não tem qualquer tipo de acompanhamento.

É comum, inclusive, que as empresas comecem a se interessar pelo assunto realizando ações filantrópicas. Doações e assistência financeira costumam ser o primeiro passo antes de implementarem, de fato, a responsabilidade social na cultura organizacional.

Além das empresas, as pessoas também podem contribuir para melhorar o dia a dia em sua cidade ou no país, por meio de ações de responsabilidade social.

Você pode fazer isso com trabalho voluntário ou destinando algum recurso para uma instituição social.

A Risü tem parceria com várias ONGs e colabora com projetos de diversos setores. Conheça as causas que recebem nosso apoio e veja como ajudar.

Risü - Cupom de descontoA Risü é shopping online do Bem, onde parte do valor de suas compras se transforma em doação para uma Causa Social à sua escolha sem que você pague nada a mais por isso. Oferecemos, ainda, diversos Cupom de Desconto de centenas de lojas! Como Cupom de desconto Americanas, Cupom de Desconto SubmarinoCupom de desconto NetshoesCupom de Desconto Centauro, entre outros.

Quer conhecer melhor a Risü? Quer aproveitar os incríveis cupons de desconto e ainda ajudar uma Ong?

Cadastre-se agora mesmo!

Responsabilidade social: Saiba tudo sobre o assunto!
5 (100%) 1 voto
Post Anterior

Você também vai gostar

Nenhum Comentário

Deixar Comentário