Criança Esperança - Uma parceria histórica
Marketing Social, ÜP

Criança Esperança – Uma parceria histórica

Hoje, convidamos nosso especialista em captação de recursos Lucas Borges (Cofundador da Risü) para contar um pouco das principais dificuldades enfrentadas por ONGs de todo o Brasil, junto a parceria histórica da Risü com o Criança Esperança em 2018.

Na primeira terça-feira de outubro de 2018, dia 03, o co-fundador da Risü Lucas Borges foi convidado para palestrar sobre as novas estratégias e plataformas digitais que contribuem com o trabalho do terceiro setor no 3º Compartilhar – Encontro entre Organizações Sociais e Sociedade Civil, organizado pela Fundação Dom Cabral.

Nesta ocasião, teve a oportunidade de conversar com dezenas de representantes de organizações sociais dos mais diversos tamanhos, níveis de gestão e regiões, onde foi possível confirmar novamente o que centenas de organizações e projetos sociais que entram em contato conosco na Risü compartilham que é: um dos principais desafios das organizações e projetos sociais é captar recursos online.

E os principais fatores que contribuem com essa dificuldade são:

  1. A dificuldade de acessar diversos canais digitais de captação de recursos;
  2. A falta de uma equipe com o conhecimento e habilidades técnicas necessárias para criar formatos simples e inteligentes de captação de doações online e elaborar estratégias digitais;
  3. A dificuldade de estabelecer qual o público-alvo no âmbito digital.

Abaixo, iremos detalhar mais sobre esses fatores e apresentar um case bem legal que pode servir de inspiração para que você dê os primeiros passos e ajude sua organização social a se posicionar melhor no mundo digital.

Conheça o ÜP, uma plataforma de gestão completa para sua Organização Social alcançar mais doações e apoiadores.

1 – A dificuldade de acessar diversos canais digitais de captação de recursos

O grande desafio das organizações é entender onde estão as oportunidades no meio digital e como gerar essas oportunidades também. Quando falamos de canais digitais de captação de recursos, estamos falando exatamente de oportunidades. Porém, ainda assim, para muitas organizações, enxergar estes canais pode ser desafiador e muitas vezes as organizações esquecem do mais básico.

Ter um site hoje é primordial para qualquer organização, pois é um dos canais mais fáceis para comunicar seu propósito e o que você faz. Entretanto, a grande maioria das organizações não utiliza do seu site como um canal de oportunidade de captação inteligente de doadores online. Muitas vezes, os sites das organizações não é voltado para explicar de forma fácil como se tornar um doador, além de não possuir uma estrutura inteligente e que facilite o processo de doação para o potencial doador. A grande maioria das pessoas que se interessam pelo o que a organização faz acaba não doando por ter grande dificuldade de fazê-lo. Imagine quantos doadores as organizações não perdem todos os meses, somente neste canal digital?

Existem diversas oportunidades que também podem ser criadas fora do seu site, através de parcerias, mídias de performance (Google Grants, Facebook Ads, etc), redes sociais (Youtube, instagram…) e outras inúmeras oportunidades. Para saber mais detalhes sobre os principais canais que sua organização pode explorar, confira nosso ebook especializado neste assunto.

2 – A falta de uma equipe digital

Como transportar sua organização social pra o mundo digital, sem uma equipe digital?Doação online | Quais os melhores sites de doação?

Muitas vezes, me deparei com essa pergunta e realmente é um grande desafio para várias organizações que ainda estão fazendo tudo da forma tradicional e não ligaram a chave para pensar na organização como algo que extrapole o ambiente físico.

Porém, essa já é uma necessidade de todos os mercados e, assim como as empresas, as organizações sociais também precisam caminhar conforme a mudança dos tempos. E hoje, é imprescindível ter pessoas que vão pensar a organização no ambiente digital e traçar estratégias e realizar ações para tornar a presença da organização cada vez mais forte nesse meio.

Não é possível obter resultados diferentes fazendo sempre as mesmas coisas, então procure o quanto antes fazer com que sua equipe comece a pensar dessa forma. Incentive com que a equipe conheça sobre diversos assuntos relacionados à inovação, patrocine cursos se possível, contrate pessoas com habilidades analíticas e com conhecimentos de marketing digital e possivelmente de programação. Pense como uma organização digital, afinal, organizações são as pessoas que nela estão.

3 – A dificuldade de estabelecer qual o público-alvo no âmbito digital

Se você acredita que é só ter uma equipe e começar a ter mais presença digital que os resultados virão, você está muito equivocado(a). Muitas organizações, mesmo já tendo iniciado a sua jornada para o digital, enfrentam dificuldades para obterem resultados.

A questão é que nem sempre o público-alvo que você atinge efetivamente no meio tradicional será o seu público no meio digital. Vários fatores contribuem para isso e é por isso a importância de se testar vários canais e entender seus resultados.

Além disso, vários componentes dessa fórmula podem alterar os resultados. Provavelmente, você não terá tanta efetividade comunicando para um público mais velho em um canal onde, a grande maioria, é frequentada por jovens e adolescentes, por exemplo. Portanto, saber o público-alvo de cada ação é essencial para definir quais canais e qual discurso utilizar para conseguir resultados mais efetivos.

Case prometido: Risü e Criança Esperança

Independente do tamanho da sua organização social ou projeto social, independente do quanto você consegue arrecadar por ano e qual o peso dos parceiros envolvidos com a sua causa, todos possuem desafios.

O Criança Esperança, gerenciado pela Unesco, é um dos principais projetos sociais do Brasil e possuem uma marca muito forte em todas as regiões, muito pela força do seu principal parceiro de mídia, a Rede Globo.

No final de 2017, tive a oportunidade de conversar com o coordenador digital da Globo em um evento e descobri algo que nunca suspeitava: o Criança Esperança também tem seus desafios, apesar da força dos parceiros envolvidos.

Um de seus principais desafios é mostrar para o público que o Criança Esperança não é um projeto pontual que acontece em um mês, mas que roda o ano todo ininterruptamente. Assim, estar presente no dia a dia das pessoas seria fundamental para a estratégia deles, bem como trabalhar para que mais doadores recorrentes apoiem o projeto.

Durante o ano de 2018, aprofundamos nos desafios do projeto e, como primeiro passo, criamos o projeto Doe Esperança que foi inaugurado em setembro de 2018, onde é possível apoiar o Criança Esperança em compras online. Hoje, a Risü é a plataforma oficial e exclusiva do Criança Esperança.

O Criança Esperança existe há 33 anos, já apoiou mais de 5 mil projetos sociais e beneficiou mais de 4 milhões de crianças e adolescentes ao longo deste tempo. Para nós, é muito gratificante poder caminhar ao lado de um projeto tão forte e bonito e, principalmente, é muito inspirador saber que mesmo um projeto com a força que possui de captação, está preocupado e engajado a chegar nos doadores de formas diferentes online.

Espero que esse case possa servir também de inspiração para que a sua organização ou projeto, busque sempre formas diferentes e inteligentes de captar recursos e, espero de coração, que esse material possa ajuda-lo a por em prática algumas ações para tornar sua organização mais digital.


Falar com um consultor

Criança Esperança – Uma parceria histórica
5 (100%) 2 votos
Post Anterior

Você também vai gostar

Nenhum Comentário

Deixar Comentário